terça-feira, dezembro 11, 2018
Automobilismo

Hond City 2015: Mais um premium entre os compactos

Com uma nova roupagem, não é apenas o acabamento do modelo que melhorou. Ainda que sejam grandes as semelhanças com o anterior, este é maior e na opinião de muitos, ‘completamente novo’. O Novo City, em sua quarta geração mundial (a segunda nacional), recebeu um ar mais esportivo, e ficou bem mais próximo ao Civic. Possui um comprimento com, aproximadamente, 5,5 centímetros maior que o antecessor, e 5 centímetros de distância entre eixos [Fonte: Honda], presente em quatro versões: EXL, EX, LX e DX.

Seu interior, que proporciona mais conforto para três adultos nos bancos de trás (devido ao aumento em sua nova carroceria, cerca de 7 centímetros foram acrescentados no espaço para os joelhos), também apresenta um novo painel (em black piano, com detalhes cromados), quadro de instrumentos e novo visual aos bancos – revestidos em couro – e laterais das portas. Não obstante, o porta-malas possui uma boa capacidade: 536 litros. Além do novo design, dentre as inovações tecnológicas do modelo City 2015, se destaca o ar condicionado digital, que possui os comandos na tela multimídia.

A mecânica apresenta o mesmo motor 1.5 flex da versão Honda Fit (segundo informações do fabricante: Gasolina – 115 cv – 15,2 kgfm; Etanol – 116 cv – 15,3 kgfm). Seu diferencial: não necessita de tanque auxiliar de gasolina para partida a frio. A maior (e melhor) novidade neste quesito, talvez seja o câmbio automático tipo CVT, de variação contínua com sete posições definidas como marchas (manual, de cinco marchas, apenas na versão DX), e aletas atrás do volante (versões EX e EXL), o que proporciona um melhor conforto ao dirigir.

A nova versão do Honda City aumentou de tamanho, e com o preço não foi diferente, chegando aos R$ 69.000. Uma observação: mesmo com este valor, seus sensores de estacionamento são ofertados, unicamente, como opcionais, e GPS ‘não consta na lista’.